Gratidão pela palavra de Deus

97

E ensinaram em Judá, levando consigo o livro da lei do SENHOR.
2 Crônicas 17:9

Em contraste com os monarcas do reino de Israel, o rei Josafá era temente a Deus, e serviu ao único Deus verdadeiro. Ele honrava a Palavra de Deus e vivia de acordo com a mesma. Por isso Deus pôde fortalecê-lo e dar-lhe a energia de banir os altares dos ídolos de sua terra (2 Crônicas 17:4-8).

Josafá entendia que apenas remover os ídolos dentre o povo não era suficiente em si mesmo. Era necessário que eles fossem substituídos por aquilo que era bom e verdadeiro, a brilhante luz da Palavra de Deus. Desse modo, era o desejo do rei que toda a nação fosse instruída na lei de Deus, os cinco livros de Moisés. Josafá confiou essa tarefa para seus príncipes, além dos sacerdotes e levitas.

Junto com narrativas históricas, os cinco livros de Moisés contêm as leis que devem reger a vida das pessoas, instruções para adoração e serviço a Deus e também indicações relativas à vida civil. Dessa maneira, não devemos nos surpreender diante do grupo diverso de instrutores. A Palavra de Deus deveria ser observada em todas as esferas da vida (cf. Deuteronômio 17:18; 2 Crônicas 19:4-11).

Em nossos dias provamos nossa fidelidade ao nosso Senhor quando abandonamos o que é mau e errado. Mas nós também precisamos de luz e direção positiva. Dessa forma, o comentário que os instrutores “ensinaram em Judá, levando consigo o livro da lei do SENHOR” é importante. O que foi ensinado não consistia de opiniões humanas, mas estava baseado diretamente na Palavra de Deus.

Quão agradecidos devemos ser pela Palavra de Deus! Ela traz luz, força e alegria para nossas vidas. E nós podemos edificar e fortalecer uns aos outros com a “palavra da sua graça” (Atos 20:32). Deus abençoará nossas vidas se levarmos nossas Bíblias conosco e a utilizarmos quando nos encontramos com outras pessoas.  

Comentários