Publicada em 13/03/2018 às 10:27

Em nove dias, H1N1 matou oito pessoas em Goiânia

Outras duas pacientes que tiveram testes positivos para a doença na unidade de saúde permanecem internadas. Há ainda três internos, de 39, 43 e 50 anos, hospitalizados em estado grave no Vila São Cottolengo.

Os testes identificaram o vírus na corrente sanguínea de Rosa. Foto: Andre Borges/Agência Brasília (Foto: Andre Borges/Agência Brasília)
Os testes identificaram o vírus na corrente sanguínea de Rosa. Foto: Andre Borges/Agência Brasília

Um surto de Influenza A H1N1 assusta a população de Goiânia. Em um intervalo de nove dias, oito pacientes que estavam internados no Hospital Vila São Cottolengo, em Trindade, região metropolitana da capital, morreram com suspeita de infecção pelo vírus. A última vítima é Rosa Maria dos Santos, 54 anos, que, após piora no quadro de saúde, foi transferida para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Os testes identificaram o vírus na corrente sanguínea de Rosa.

Outras duas pacientes que tiveram testes positivos para a doença na unidade de saúde permanecem internadas. Há ainda três internos, de 39, 43 e 50 anos, hospitalizados em estado grave no Vila São Cottolengo. A unidade de saúde atende, atualmente, 320 pacientes, sendo crianças, adultos, pessoas em situação de vulnerabilidade social e com a saúde mental ou motora comprometida.

A Secretaria de Saúde de Goiás confirmou o registro de três casos, mas afirma que “seis óbitos relatados permanecem em investigação e que um deles já foi descartado laboratorialmente”. O órgão informou que está tomando medidas para conter o problema. “As recomendações da Superintendência de Vigilância em Saúde envolvem o tratamento dos sintomas respiratórios em até 48h, vacinação dos internos, e restrição de visitas durante o período de investigação. Além disso, reforça que a campanha nacional de vacinação será de 16 de abril a 25 de maio.”

Autor: www.diariodepernambuco.com.br
Fonte: www.diariodepernambuco.com.br

Comente com o Facebook