Publicada em 06/09/2018 às 11:20

Dieta cetogênica: Como funciona, alimentos permitidos e proibidos, receitas e mais

Dieta Cetogênica é um regime que promete perda de peso acentuada por cortar drasticamente o consumo de carboidratos e aumentar o de gorduras.

Resultado de imagem para dieta cetogênica

 

Dieta Cetogênica é um regime que promete perda de peso acentuada por cortar drasticamente o consumo de carboidratos e aumentar o de gorduras.

Embora realmente tenha potencial emagrecedor, essa dieta pode gerar uma série de riscos em longo prazo, como câncer, colesterol alto e cansaço, e só é indicada em condições muito específicas, como, por exemplo, em casos de epilepsia. Entenda:

O que é dieta cetogênica?

Classicamente, a dieta cetogênica é aquela que restringe bastante a oferta energética na alimentação e aumenta a quantidade de gorduras a fim de colocar o corpo em um estado metabólico conhecido como cetose, o qual é responsável pelo emagrecimento.

O que é cetose?

Na dieta cetogênica, como há escassez de carboidratos e, consequentemente, glicose — principal fonte de energia do organismo —, o corpo precisa buscar outros compostos como energia para as células.

“Neste caso, o organismo entra em estado de cetose, ou seja, passa a produzir um pouco de glicose a partir de aminoácidos, chamados de glicogênicos e glicerol, liberados principalmente pela quebra da gordura no fígado”, explica a nutricionista Sula de Camargo, da Câmara Técnica do CRN-3.

Este estado é desejado pela dieta, pois significa que, diante do nível baixo de carboidratos, o corpo passou a transformar gordura em energia. Com isso, há o emagrecimento.

Dieta cetogênica emagrece mesmo?

 

medindo peso

Billion Photos/Shutterstock

dieta cetogênica funciona, mas pode gerar uma série de efeitos adversos que merecem atenção.

Vantagens da dieta

dieta Keto se destaca por proporcionar rápido emagrecimento, visto que reduz drasticamente a quantidade de carboidratos do cardápio, promovendo a cetose que leva à queima de gordura.

“Alguns estudos mostram uma certa vantagem na questão da perda de peso, especialmente nos primeiros três meses de tratamento. Em longo prazo, porém, o emagrecimento é semelhante à de dietas com distribuição mais equilibrada de macronutrientes (carboidratos, lipídios e proteínas)”, alerta Sula.

Devido aos velozes resultados da dieta cetogênica, o indivíduo que a adotou pode ficar engajado e motivado a continuar a perda de peso, o que pode estimular hábitos saudáveis, como prática de atividades físicas e reeducação alimentar.

Além disso, ela pode trazer alguns benefícios em curto prazo, como manutenção da massa magra, redução do apetite, aumento da queima de calorias para produzir calor, auxilio na perda de gordura corporal e redução dos níveis de glicose e insulina.

É preciso notar também que, se a dieta não for personalizada e ajustada especificamente para cada paciente e seu organismo e se ela for usada por um longo período, pode acontecer o inverso de todos estes benefícios listados e se tornar algo extremamente prejudicial.

Qual a relação com a epilepsia?

“Este tipo de dieta é prescrita em casos específicos de epilepsia refratária, tanto em crianças quanto em adultos. Há estudos que comprovam a melhora no controle das crises de convulsão”, aponta a nutricionista.

O benefício viria justamente pela presença de corpos cetogênicos no sangue e sua ação no cérebro, a qual diminuiria a frequência dos ataques.

Ajuda contra alguns tipos de câncer?

Embora células cancerígenas não possam entrar em cetose, há algumas vertentes da medicina que acreditam que esses corpos malignos não consigam viver e se proliferar neste estado.

Apesar de ser um benefício comumente relacionado à dieta cetogênica, a nutricionista afirma que o assunto ainda é bastante controverso na oncologia. “Não existem evidências robustas que comprovem que este tipo de alimentação tenha relação com a interrupção do desenvolvimento de tumores ou mesmo com a redução dos efeitos adversos dos tratamentos”, ressalta.

Sendo assim, ainda carecem estudos que justifiquem a recomendação da dieta cetogênica para pacientes com câncer.

Desvantagens

A primeira grande contraindicação desta dieta é realizá-la sem a supervisão de um nutricionista ou médico, visto que é um programa alimentar bastante extremo e que não deve ser encarado de maneira leviana.

Além disso, existem diversos efeitos colaterais que podem surgir em curto, médio e longo prazo. “Pode ocorrer desidratação grave ou acidose, dificuldade de concentração, dor de cabeça, hipoglicemia, alterações de humor, hipertensão, aumento do risco de infecções, constipação, vômitos, deficiências de vitaminas e minerais importantes, problemas na saúde dos ossos, colesterol alto, pedra nos rins e outros prejuízos mais graves”, lista nutricionista Sula de Camargo.

Risco de câncer

Embora há quem alegue que o regime auxilie o tratamento de câncer, é sabido que o consumo de alimentos típicos do cardápio da dieta cetogênica, como embutidos, pode aumentar o risco de tumores, especialmente os do aparelho digestivo, como o câncer colorretal.

Como é feita?

 

o que comer dieta cetogênica

Oleksandra Naumenko/Shutterstock

O grande foco da dieta cetogênica é controlar as porções de consumo de gordura em relação aos carboidratos e proteínas.

Conforme explica a especialista, o balanceamento da dieta geralmente requer que 90% das calorias ingeridas sejam na forma de lipídios (gorduras) e 10% na forma de proteínas e carboidratos.

Dieta Cetogênica cíclica

Na cíclica, o princípio é o mesmo da dieta normal, mas o plano alimentar focado na cetose é intercalado com períodos de consumo de carboidratos.

Estes intervalos irão depender da recomendação médica. Ou seja, nunca é demais salientar que esta dieta só pode ser vantajosa em casos muito específicos e sob recomendação médica.

O que comer?

Embora existam grupos de alimentos da dieta cetogênica que precisem ser consumidos em maior quantidade e outros em menor quantidade, é preciso achar um equilíbrio e uma combinação ideal entre eles.

Alimentos permitidos

Consumo em maior quantidade

Carnes: vermelha, frango, peixes etc

Ovos

Laticínios sem açúcar: queijos, manteiga, etc

Oleaginosas: nozes, macadâmia, semente de girassol, amendoim, semente de abóbora etc

Óleos: óleo de coco

Consumo em menor quantidade

Vegetais: espinafre, couve, couve-flor e brócolis

Frutas com baixo índice glicêmico: abacate, coco, framboesa e amora

Alimentos que devem ser evitados

Grãos: arroz, cereais, milho, trigo etc

Açúcar: mel, doces, sorvetes, bolachas, achocolatados etc

Leguminosas: feijão, lentilha, grão-de-bico etc

Frutas com alto índice glicêmico: maçã, banana, laranja etc

Massas: macarrão, lasanhas, pães, torradas etc

Tubérculos: batata, inhame, beterraba, mandioca etc

Cardápio da dieta cetogênica: porque não seguir?

Pode ser tentador tentar encontrar exemplos de planos alimentares das dietas que queremos seguir, mas, no caso da cetogênica, o melhor é evitar isso a qualquer custo.

“Por se tratar de uma dieta com baixa segurança se for realizada sem supervisão de um nutricionista ou médico, o melhor é não transmitir exemplos de cardápio para não incentivar o consumo pela população em geral e gerar possíveis problemas de saúde”, conclui Sula de Camargo.

Receitas

 

almôndegas

nelea33/Shutterstock

Apesar de um plano alimentar genérico não ser recomendado, para quem está na dieta cetogênica é sempre interessante buscar receitas que se enquadrem no regime. Por isso, confira duas recomendações enviadas pela nutricionista:

Almôndegas

Ingredientes

  • 300g de carne moída
  • ½ cebola batida ou ralada
  • 1 dente de alho picado
  • 1 colher de café rasa de cúrcuma (Cúrcuma longa)
  • 1 pitada de pimenta-do-reino
  • 1 colher de sopa cheia de alho-poró batido ou ralado
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 1 colher de sopa de semente de girassol
  • 1 ovo inteiro

Modo de preparo

Rale ou bata no liquidificador ou processador a cebola e o alho-poró. Em uma tigela, coloque a carne moída, o ovo e o azeite e misture bem com as mãos limpas. Acrescente os demais ingredientes e misture um pouco mais.

Faça as bolinhas de carne num tamanho não muito grande e coloque na forma para assar. Aqueça o forno previamente e deixe assar em forno médio por aproximadamente 20 minutos.

Iogurte de abacate

Ingredientes

  • ¼ de abacate maduro
  • Iogurte natural sem açúcar
    3 unidades de oleaginosas de sua preferência (castanha-do-Pará, de
  • caju, macadâmia, amêndoa ou nozes)
  • 1 colher rasa de cacau em pó sem açúcar

Modo de preparo

Apenas bata tudo no liquidificador.

colaboradora: Nutricionista Sula de Camargo, da Câmara Técnica do CRN-3 / CRN 17578

Autor: ativosaude.com
Fonte: ativosaude.com

Comente com o Facebook