Publicada em 14/09/2018 às 13:09

Corpo de Bombeiros mostra proporção de incêndio que atinge reserva ambiental, em Rondônia

Mesmo com a força-tarefa do Corpo de Bombeiros para combater os focos de incêndio que assolam uma reserva ambiental em Nova União (RO).

Mesmo com a força-tarefa do Corpo de Bombeiros para combater os focos de incêndio que assolam uma reserva ambiental em Nova União (RO), município a cerca de 370 quilômetros de Porto Velho, desde 8 de setembro, as chamas continuam fazer estragos dentro do local restrito e pelos arredores. Na manhã desta quinta-feira (13), equipes da corporação concentraram esforços nos pontos mais castigados pelo fogo.

Os trabalhos de investigações para entender a real proporção da queimada também já começaram. Por volta das 14h, equipe do Grupo de Operações Aéreas (GOA), do Corpo de Bombeiros, fez um sobrevoo prévio na área mais afetada.

Pelas imagens encaminhadas ao G1, é possível notar a fumaça que encobre a reserva por causa das chamas. Diariamente, há sete bombeiros trabalhando em solo para frear o incêndio.

Até o momento, ao menos dois mil hectares já foram devastados. Dentro dessa proporção, além da mata destruída, animais foram mortos pelas chamas. Entre as espécies, há cobras tatus e jabutis.

O incêndio, que também atinge os assentamentos Margarida Alves e Palmares, bem como áreas pertencentes à produtores rurais, as labaredas se aproximam da nascente do Rio São Domingos.

O local é fonte de água da cidade de Nova União. Nas extremidades da nascente, há espécies de animais em risco, inclusive onças, veados e cachorros do mato. No local, também se concentram cachoeiras.

Para pecuaristas, uma das únicas alternativas encontradas é alugar outras propriedades rurais que não foram atingidas.

Ranking de queimadas

O incêndio de grandes proporções em Nova União se soma aos quase oito mil focos de incêndios registrados em Rondônia na tarde desta quinta.

Conforme levantamento do banco de dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o estado ultrapassou o Pará, alcançando o terceiro lugar das regiões que mais queimam no país.

Porto Velho se mantém no primeiro lugar no ranking de queimadas. O município, capital de Rondônia, somou, em apenas um dia, 105 pontos de chamas.

Em seguida, Nova Mamoré aparece em segundo lugar, marcando 52 focos de incêndio também em 24 horas. Em terceiro lugar está Machadinho D’Oeste, que registrou 20 pontos de fogo.

Na América Latina, o Brasil segue na primeira posição da lista, chegando a quase 80 mil focos pelo país. Atrás do país, vem Argentina, Venezuela e Colômbia, respectivamente.

Autor: G1 RO
Fonte: G1 RO

Comente com o Facebook