Publicada em 09/07/2018 às 11:05

Ações de combate aos crimes ambientais e da Polícia Civil são reforçadas em Rondônia

Ganharam reforço nesta sexta-feira (6) com a entrega de um helicóptero contratado de uma empresa especializada na prestação de serviços de transporte aéreo, o que garantirá mais agilidade ao monitoramento.

Resultado de imagem para combate aos crimes ambientais

As atividades de combate aos crimes ambientais realizadas pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) ganharam reforço nesta sexta-feira (6) com a entrega de um helicóptero contratado de uma empresa especializada na prestação de serviços de transporte aéreo, o que garantirá mais agilidade ao monitoramento, vigilância e planejamento das ações de fiscalização, com sobrevoo de atuação emergencial, inclusive pouso no local onde estiver ocorrendo o ato ilícito contra o meio ambiente. Na mesma solenidade realizada no Hangar do Governo, a Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec) recebeu da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) armas, coletes, capacetes, entre outros equipamentos, para ser utilizados pela Polícia Civil, especialmente o Grupo de Operações Táticas Especiais e o Grupo de Aviação de Segurança Pública, nas operações conjuntas com a pasta do Desenvolvimento Ambiental.

A aeronave vai possibilitar a elaboração de diagnósticos sobre a situação da cobertura vegetal, tendências de ocupação de áreas, localização e acesso a pontos de degradação de difícil identificação pelos esforços terrestres e apoio às equipes de fiscalização em geral.

O secretário da Segurança, coronel Ronimar Jobim, destacou que a contratação da Falcão 03 vai desonerar em 40% as ações que antes eram realizadas pela Falcão 02, que atende à segurança pública, por meio do Núcleo de Operações Especiais (NOA). Parte dos equipamentos doados pela Senasp é da Diretoria de Pública de Segurança Pública e outra é um legado como retribuição ao efetivo designado da Polícia Civil de Rondônia que compôs a Força Nacional de 2015 a 2017.

Ao explicar que a atuação da aeronave abrangerá as 40 unidades de conservação do estado, organizadas em cinco blocos de unidades contíguas, conforme mapa de espacialização, o titular da Sedam, Hamilton Santigo Pereira, disse que a previsão é que sejam realizadas 320 horas/voo em oito meses, uma média 40 horas/mês, principalmente nos períodos em que as fiscalizações e monitoramentos não podem ocorrer via terrestre, de julho de 2018 a fevereiro de 2019, prazo que pode ser prorrogado. “É uma determinação do governador Daniel Pereira não aceitarmos ilícitos ambientais. E esta atuação também vai contribuir com as ações de policiamento nas fronteiras”, observou.

A contratação de empresa especializada na prestação de serviços de transporte aéreo, segundo o governador, visa atender às demandas das ações estabelecidas no Projeto de Desenvolvimento Socioeconômico Ambiental Integrado (PDSEAI), com recursos do Fundo Amazônia e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O contrato de concessão de colaboração financeira não reembolsável entre a instituição financeira e o Estado de Rondônia tem como base as Leis Federais nº 8.666/93 e n° 10.520/02; Decreto Estadual nº 12.205/2006, entre outras legislações.

O governador ressaltou que o incentivo ao desenvolvimento econômico deve estar atrelado ao respeito às áreas de conservação, pontuadas há 20 anos. “Se o estado fez esta opção de ter unidades de conservação, é dever nosso controlar as ações ilícitas”, disse Daniel, citando que nos 14 municípios que percorreu nesta semana foi demonstrado pela população o sentimento de satisfação com as ações desencadeadas em prol da segurança pública. “Começamos a semana com ações na segurança e agora terminamos entregando esta aeronave e equipamentos”, afirmou fazendo referência ao pacote de medidas anunciado na terça-feira (3) para melhoria das ações da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, entre outras unidades.

Autor: Assessoria
Fonte: Jornal Cristão

Comente com o Facebook