Publicada em 06/04/15

Perfil adequado aos moldes dos "donos da verdade "

 

Quando assumi a Comissão dos Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados ,alguns "iluminados",não tardaram a lançar todos tipos de impropérios contra  o ato soberano da mesa que me elegeu.O argumento que usavam à época era que não possuía perfil e tradição na matéria ,como se um Pastor atuante com anos de experiência ministerial no trato com o social em todas as esferas,não carregasse na própria bagagem tal mister. Um dos mais ferrenhos ataques contra minha permanência à frente da CDHM partiu justamente da Ministra dos Direitos Humanos Sra Maria do Rosário ,que entre outros vestais do politicamente correto ,tentavam de forma sórdida e rasteira impedirem o sucesso da minha gestão à frente de tão importante colegiado do Legislativo da
Republica.

Como Cristão aprendi a oferecer a outra face e sempre aguardar o tempo de Deus ,um ano se passou e a cascavel sibilou seu guizo ,para espanto de todas as pessoas de bom senso e com esse mesmo sentimento de que todos merecem perdão e reflexão nos julgamentos ,vem a público através dos meios sociais essa mesma Senhora Ex Ministra Maria do Rosário perdendo uma ótima oportunidade de ficar calada,vociferar contra um brasileiro condenado à morte na distante Indonésia ,afirmando a quem poderia interessar para onde seria trazido seus restos mortais ,e que o referido condenado não seria herói e sim traficante , com essa paquidérmica sensibilidade  a Sra ataca os familiares e até mesmo as autoridades que intercederam pela clemência em relação a pena de morte condenada pela maioria dos países que compõem a Comunidade das Nações ,em gesto que foi apoiado por todas as entidades de Direitos Humanos em qualquer nível.

Quando Presidente da CDHM ,a pedido de familiares me dirigi à Embaixada da Indonésia ,onde fui gentilmente recebido pelo Sr Embaixador,que levou pedido do Presidente da CDHM ao Presidente de seu País afim de que avaliasse o pedido de clemência .Quando um pedido desse é feito não se está julgando novamente a pessoa que se encontra no corredor da morte e sim pratica-se um gesto humanitário em nome de uma Nação ,pois ali naquele momento estamos tratando da vida de um brasileiro é que em situação análoga em nosso país a pena nãos seria a capital.


Finalizo agradecendo a Deus a oportunidade de me dirigir aos meus irmão brasileiros de todas as matizes ,relembrando que Deus não faz assepsia de pessoas ,oferecendo a salvação a todos que ouvirem sua Santa Palavra ,e que derrame suas bênçãos sobre nós.

  • Deputado Federal Pastor Marco Feliciano Membro da Comissão de Direitos Humanos e Minorias PSC/SP